Luigino Bruni Vita 250Luigino Bruni

 

"Nada tem mais valor do que um ato de gratuidade"

 

Para contatos:
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

linkveja a minha homepage linkveja os meus livros   veja os meus vídeos

Podem encontrar aqui alguns dos meus breves artigos e comentários:


Ir para a minha série bíblica:

A aurora da meia-noite - À escuta da vida - As perguntas nuas - Um homem chamado Job - As parteiras do Egito - A árvore da vida

Vá para o outro série:

Regenerações - O novo léxico do bom viver social


É a mansidão diferente que salva

A aurora da meia-noite / 8 – As comunidades que matam os seus profetas ainda ingénuos, morrem

por Luigino Bruni

publicado em Avvenire em 11/06/2017

170611 Geremia 8 rid«Deus não se revela ao profeta, como um abstrato absoluto, mas como relação íntima e pessoal»

Abraham Heschel, "Il messaggio dei profeti"

As saudades boas, as capazes de ainda nos falar, são apenas as saudades do futuro, as que sabem lançar o olhar para o presente e para o futuro. Não se regenera uma relação de amor voltando às palavras que ela nos dizia nos tempos felizes, mas sonhando e dizendo palavras de amor que nunca tínhamos dito. Há uma reciprocidade vital e essencial entre o passado e o presente. A promessa da origem dá sentido e verdade às esperanças nos tempos dos exílios e dos desertos; e o cumprimento das promessas de ontem, no hoje, diz-nos que não seguimos uma ilusão.

Leia mais...

Não à banalidade do nada

A aurora da meia-noite / 7 – Os ídolos não atemorizem nem sejam alibis de presunções

por Luigino Bruni

publicado em Avvenire em 04/06/2017

170604 Geremia 7«Como podia, então, unir-me a este selvagem idólatra, na adoração do seu pedaço de madeira? Mas o que é adorar? Acreditas verdadeiramente, Ismael, que o magnânimo Deus do céu e da terra – incluídos os pagãos e todos os outros – possa alguma vez ter ciúmes de insignificante pedaço negro de madeira? Impossível! Então, o que é adorar?»

Herman Melville, "Moby Dick"

A profecia é uma crítica radical das religiões e dos cultos. De todas as religiões e de todos os cultos, que têm uma tendência intrínseca em transformar-se em práticas idolátricas. Também e sobretudo pela revelação bíblica, uma crítica sistemática e tremenda, para evitar que a palavra bíblica se torne uma simples religião – uma fé que se torna só religião já é culto idolátrico. A Bíblia é muito mais que um livro sagrado de uma religião, também porque recolheu e conservou no seu seio os livros dos profetas que, juntamente a Job e Qohélet, as impediram de se tornar um objeto idolátrico. Então, os profetas, esvaziando o mundo religioso dos ídolos, procuram libertar-nos a paisagem dos nossos artefactos religiosos para nos criar um ambiente em que, talvez, possamos ouvir apenas uma voz nua. São os grandes libertadores dos deuses que enchem a terra e as nossas almas.

Leia mais...

A tentação de vestir Deus

A aurora da meia-noite / 6 – As mentiras dos escribas são gaiola também para a boa-fé

por Luigino Bruni

publicado em Avvenire em 28/05/2017

170528 geremia 6 rid«Jeremias compreende que o precioso poder do diálogo que lhe foi dado é, na realidade, poder de oração»

André Neher, Geremia

No princípio de toda a história de amor há um maravilhoso encontro entre “interior” e “exterior”. Nas histórias pessoais e nas coletivas. Encontramos, um dia, uma pessoa e sentimos que já estava presente na nossa alma sem que o soubéssemos. Enquanto a conhecemos, reconhecemo-la. Se assim não fosse, não nos ligaríamos a ninguém com um pacto que contém um “para sempre”. Algo de semelhante acontece também nas histórias de amor onde o outro que encontramos não é um homem nem uma mulher, mas uma realidade espiritual ou ideal. A voz que nos chama é, simultaneamente, exterior e intimíssima; reconhecemo-la porque já estava dentro de nós.

Leia mais...

A tenacidade honesta do fole

A aurora da meia-noite / 5 – Permanecer fortes para não manipular a realidade e não usar Deus

por Luigino Bruni

publicado em Avvenire em 21/05/2017

170521 Geremia 05 rid“«E a multidão exultava, estalando os dedos. Zaratustra, pelo contrário, entristeceu-se e disse ao seu coração: “Não me compreendem: eu sou a boca para estas orelhas. Agora, olham-me e riem; e, enquanto riem, continuam a odiar-me. Há gelo no seu riso»”.

Friedrich Nietzsche, "Assim falou Zaratustra"

O Deus bíblico não fala na primeira pessoa, na terra; as suas palavras chegam até nós apenas como palavras de homens e mulheres. Quem desce do Sinai, com as Tábuas da Lei, é Moisés, um homem. A ele, YHWH fala na tenda da reunião, só com ele dialoga “face a face”, e diz-lhes palavras que, depois, o povo pode conhecer. Se queremos escutar a palavra de Deus no mundo, devemos, apenas e simplesmente, aprender a escutar homens e mulheres como nós. É uma palavra que se comunica enquanto olhamos olhos à mesma altura dos nossos. Não a encontramos nem acima nem abaixo: só frente a nós. O homem é o lugar onde Deus sabe falar aos homens. Somente homens e mulheres podem fazer ressurgir, em cada dia, a Bíblia e os Evangelhos, dizendo as palavras “sai para fora”. Sem pessoas que as chamam pelo nome, aqui e agora, também as palavras bíblicas permanecem mortas nos seus sepulcros.

Leia mais...

Como mães da palavra

A aurora da meia-noite / 4 – A verdade também faz sofrer, mas gera para a verdadeira liberdade

por Luigino Bruni

publicado em Avvenire em 14/05/2017

170514 Geremia 04 bis rid

«Espero, de todo o coração, que me absolveis; não me diverte a ideia de fazer de herói na prisão, mas não posso deixar de declarar-vos explicitamente que continuarei a ensinar os meus jovens o que ensinei até agora … Se não pudermos salvar a humanidade, salvaremos, pelo menos, a alma».           

Don Lorenzo Milani, Carta aos capelães militares, carta aos juízes

A ideologia é o primeiro instrumento usado pelas classes dominantes nos tempos das crises. Antes da força, do dinheiro, do poder político, os chefes (civis ou religiosos) gerem as crises dos seus impérios produzindo ideologias, pagando a ideólogos, erguendo um sistema de propaganda capilar da ideologia. Quanto mais grave é a crise, mais essencial é o instrumento ideológico. A principal forma que toma a ideologia no tempo das crises é a produção sistemática e reiterada de ilusões coletivas. Enquanto os sinais falam, clara e somente, de declínio e de fim, as ideologias produzem, primeiramente, sinais diferentes, inexistentes; depois, fazem-nos tornar principais; por fim, apresentam-nos como os únicos. As ideologias são muitas e diferentes, mas têm em comum a criação artificial de uma realidade paralela que é apresentada como perfeita e que, progressivamente, faz perder o contacto com a realidade imperfeita e verdadeira.

Leia mais...

A mão que segura a corda

A aurora da meia-noite / 3 – É um grande dom ter ao lado pessoas mais fiéis que nós

por Luigino Bruni

publicado em Avvenire em 07/05/2017

170507 Geremia 03 rid«Quando chegou junto do monte, onde Moisés tinha subido e tinha contemplado a herança de Deus, Jeremias subiu e encontrou um vão em forma de caverna e lá meteu a tenda, a arca e o altar do incenso e tapou a entrada. Alguns dos que o seguiam regressaram para assinalar o caminho, mas não conseguiram encontrá-lo».

Segundo o Livro dos Macabeus

A fidelidade é uma das palavras que tem a capacidade de, sozinha, dizer tudo o que há a dizer acerca da vida. Uma existência é feita de muitas palavras e de muitas coisas, mas, se tivéssemos de escolher uma só, a fidelidade seria uma candidata muito forte. A fidelidade é quase tudo; talvez a fidelidade seja tudo. Fidelidade aos pactos fundadores da nossa existência, à aliança conjugal, à nossa profissão, às amizades, à voz que, um dia, nos chamou, fazendo-nos partir para a viagem maior. É a fidelidade que aquece o coração nos invernos, que consola a alma quando tudo o resto passa, que nos faz pronunciar o nosso nome sem nos envergonharmos. É a melhor herança que podemos deixar aos nossos filhos.

Leia mais...

Édipo e Telêmaco

Para além do mercado – Nós ainda não estamos levando a sério a destruição em massa do bem espiritual da nossa civilização

por Luigino Bruni

publicado na revista   pdf Città Nuova (63 KB)

Preghiera ridNa nossa terra existem bens capitais que estão crescendo e outros que estão em estado grave e se deteriorando seriamente. O consumo dos bens ambientais está cada vez mais evidente e, embora muito tarde, nós estamos começando a tomar consciência coletivamente. No entanto, nós não estamos ainda levando a sério a destruição em massa do bem espiritual da nossa civilização. Nossos filhos estão crescendo mais habilidosos na língua inglesa, na internet, nas informações, mas estão empobrecendo drasticamente na vida interior, no bem espiritual. Há um “efeito estufa na alma”, que está nos sufocando, e o aspecto mais grave é a falta de consciência pública. Estamos gradativamente nos acostumando a viver no interior dessa estufa, como almas presas, que confundem os telões de plásticos azuis com o céu.

Leia mais...

A subsidiaridade das emoções

Rubriche - Além do mercado

por Luigino Bruni

publicado na Revista  pdf Città Nuova (116 KB)  

Emozioni a Firenze ridNas grandes empresas do nosso tempo está crescendo rapidamente a atenção para o gerenciamento das emoções. As organizações econômicas começaram a sentir instintivamente que estamos em uma profunda transformação antropológica, e procurando como podemos encontrar as soluções. O capitalismo, por sua capacidade de antecipar as necessidades e os desejos, está compreendendo que em nosso tempo há um oceano de solidão, de carência de atenção e de ternura, de falta de respeito e reconhecimento da necessidade de ser visto e amado, das dimensões inéditas e imensas. Ele está se preparando para atender até mesmo essa 'demanda' por novos mercados.

Leia mais...

Os profetas do segundo nada

A aurora da meia-noite / 2 – O destino e a liberdade no encontro com o absoluto

por Luigino Bruni

publicado em Avvenire em 30/04/2017

170430 geremia02«Quando levou à cabeceira de Jeremias a bebida preparada, ele respirava tranquilamente a dormir. “Porque não me é lícito esconde-lo do mundo, como poderia esconde-lo de ti, mãe?” … “Que escondeste?” (…). “O Senhor esteve próximo de mim… E a sua voz falou-me. E a sua voz me mandou para fora daqui”. Os olhos de Abi encheram-se de lágrimas. Não chorava porque o Senhor tinha vindo até ele. Não devia estar orgulhosa, entre todas as mulheres de Jacob? E, no entanto, o coração da Abi quebrava-se de dor pela escolha do filho»

Franz Werfel, 'Ascoltare la voce'

Há um conflito, uma tensão radical entre os profetas e o poder. Por muitas razões, mas, sobretudo, porque o profeta, por missão e vocação, sabe ver a natural tendência de qualquer poder – in primis, o revestido de uma veste sacra – em perverter-se e transformar-se em tirania.

Leia mais...

A hora de um cântico sem medo

A aurora da meia-noite / 1 – O destino e a liberdade no encontro com o absoluto

por Luigino Bruni

publicado em Avvenire em  23/04/2017

Logo Geremia Crop 300

Vós que amais,
vós que desejais, 
ouvi, vós, doentes de despedida: 
somos nós que começamos a viver nos vossos olhares, 
nas vossas mãos que vão à procura na luz azul – 
somos nós, que cheiramos ao amanhã.
Já nos aspira o vosso folego,
nos puxa para baixo no vosso sono 
nos sonhos, que são o vosso reino
onde a escura ama, a noite, 
nos faz crescer,
até que nos reflitamos nos vossos olhos,
até que falemos às vossas orelhas.

Nelly Sachs 'Nelle dimore della morte'

A profecia é um bem capital em qualquer tempo e em qualquer lugar – para qualquer sociedade, para todas as comunidades, para toda a pessoa. Depois, quando atravessamos as grandes crises, a profecia torna-se um bem de primeira necessidade, precioso e essencial como a água e valoriza-a.

Leia mais...

Economia e partilha

Ensaio - Além do mercado

por Luigino Bruni

publicado na Cidade Nova n. 03/2017 [PT] de março de 2017

Sharing Economy ridNão é fácil compreender o que realmente está a acontecer no crescente fenómeno da chamada sharing economy, economia de partilha. Até porque, sob esta expressão, se recolhem experiências diversificadas, às vezes demasiado diversificadas. 

Leia mais...

Siga-nos:

facebook twitter vimeo icon youtubeicon flickr

EoC-IIN

Logo Eoc iin 01 rid rid

International Incubating Network

leia mais...

Relatório EdC 2016

Cover Edc44 EN modUm ano de vida EdC, estratégias e perspectivas para o futuro. 

 Ir para a versão online

ANPECOM: o site!

Aderir a EdC

EoC Companies crop banner rid modCadastre a sua empresa no novo site exclusivo: edc-info.org

Descubra mais...

Cidade Nova e EdC

pessoas edc003A revista Cidade Nova tem agora uma página dedicada à Economia de Comunhão, com relatos de pessoas envolvidas com o projeto.

Artigos já publicados:

Escola interamericana reunirá jovens empreendedores - 10/2015
A Aurora de uma nova cultura
- 09/2015
Comunhão e a crise grega - 08/2015
John Nash e a EdC
- 07/2015
Dado empresarial e a prática dos valores da empresa
- 06/2015
Nairóbi, capital de uma nova economia
- 05/2015
EdC e a qualidade do produto
- 04/2015
O lucro não monetário
 - 03/2015
Confiança e análise de risco - 02/2015
Economia e humanismo - 01/2015

As parteiras do Egito

Logo Levatrici d Egitto rid modO comentário do Êxodo, dos editoriais de domingo no Avvenire, por Luigino Bruni

O trabalho das mãos - 21/12/2014
O véu do profeta
 - 14/12/2014
As costas e o rosto de Deus
- 07/12/2014
O peso das palavras comuns - 30/11/2014
O bezerro de ouro - 23/11/2014
O sétimo dia
- 16/11/2014
Palavras do Céu, palavras da terra
- 09/11/2014
O decálogo
- 02/11/2014
As palavras da terra
- 26/10/2014
Os familiares do profeta
- 19/10/2014
A gratuidade-manã
- 12/10/2014
A dança de Miriam
- 05/10/2014
Os muros do mar
- 28/09/2014
A libertação e os ídolos
- 21/09/2014
Pragas e impérios invisíveis
- 14/09/2014
Capatazes leais
- 07/09/2014
O céu e as pirâmides
- 31/08/2014
A vocação de Moisés - 24/08/2014
O grito-oração
- 17/08/2014
As parteiras do Egito
- 10/08/2014

A árvore da vida

Logo Albero della vita rid modO comentário sobre o Gênesis, através dos editoriais de domingo no Avvenire, por Luigino Bruni

A morte de Jacob - 03/08/2014
O filho reencontrado
- 27/07/2014
A reconciliação
- 20/07/2014
O perdão de José
- 13/07/2014
Vacas magras e vacas gordas
- 06/07/2014
A lealdade de José
- 29/06/2014
Judá e Tamar
- 22/06/2014
José, o sonhador
- 14/06/2014
A morte de Isaac - 08/06/2014
Dina, A Vingança e a Gratidão - 01/06/2014
Ferida e benção - 25/05/2014
A carestia de fundamento - 18/05/2014
O sonho e a vocação - 11/05/2014
Esaú e Jacob/Jacó - 04/05/2014
O 1º contrato - 27/04/2014
Isaac - 20/04/2014
Agar - 13/04/2014
Abraão - 06/04/2014 
Babel - 30/03/2014
Noé - 23/03/2014 
Caim e Abel - 16/03/2014 
A serpente - 09/03/2014
Troca de olhares - 02/03/2014 
Adam - 23/02/2014
A árvore da vida - 16/02/2014

O novo léxico do bom viver social


Logo nuovo lessico rid modAs "palavras" do Novo Léxico, dos editoriais dominicais em Avvenire por Luigino Bruni

Comunhão - 09/02/2014
Instituições
- 02/02/2014
Comunidade
- 26/01/2014
Tempo - 19-01-2014
Mansidão - 12/01/2014
Economia - 05/01/2014
Consumo - 29/12/2013 
Carismas - 22/12/2013 
Inovação - 15/12/2013 
Mercado - 08/12/2013
Bens comuns - 01/12/2013
Cooperação - 24/11/2013
Bens de experiência - 17/11/2013
Ponto crítico - 10/11/2013
Capitais - 03/11/2013
Pobreza - 27/10/2013
Bens relacionais - 20/10/2013
Bens  - 13/10/2013
Riqueza - 06/10/2013
Novo léxico - 29/09/2013

Ver versão online

O dado das empresas

Logo cube IT 150

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

Linhas para a gestão de uma empresa de EdC

Binari_rid_modA Economia de Comunhão propõe às organizações produtivas que fazem própria a sua mensagem e a sua cultura, as “Linhas para a gestão de uma empresa”, escritas à luz da vida e da reflexão de milhares de empresários e trabalhadores...
Leia mais...

A economia da partilha

Chiara_Lubich_1Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista,
baseada numa cultura do ter,
a economia de comunhão é
economia da partilha...

Leia mais...

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.