Summer School: uma experiência de comunhão

Depoimento de Ernesto Figueredo, cubano, após um ano da Summer School Internacional EdC 2013 em Madri.

por Ernesto Figueredo

Cuba SS 1Nós não pertencemos à mesma família. Ele é italiano e chama-se Fabio, e quatro dias antes de batermos esta foto, nem nos conhecíamos ainda. Então, porque hoje temos uma amizade tão bonita? Chama-se comunhão, chama-se fraternidade. È um fenômeno que une as pessoas, mesmo a distância e com idiomas diferentes. Esta dimensão se fez presente também na economia.

Durante três anos eu estudei a EdC e outras expressões de economia social e solidária, mas uma coisa é ler livros, assistir vídeos e acompanhar as notícias relacionadas ao assunto na Internet, e bem outra coisa é compartilhar dias inteiros com empresários, professores e estudantes da EdC do mundo inteiro.

Sair de Cuba

No início, a curiosidade e a agitação me ofuscaram. Eu não acreditava. Sair de Cuba é muito difícil, é sempre uma experiência desejada, mas, em geral,traumática. De fato, o meu amigo Kike (Yosniel García) não pode participar, mesmo se desde os primeiros passos da EdC em Cuba tínhamos caminhado juntos. Pensei em Kike o tempo todo, consciente de que eu estava alí por nós dois. Portanto, sentia a grande responsabilidade de aprender a viver em profundidade a experiência por mim e por ele.

Muito mais que um curso de verão

Conhecer outras culturas através das pessoas, das suas línguas, do que comem, de como dançam... é sempre algo bom e que nos enriquece. Mas se a isto se acrescentam outras coisas como a enorme bagagem de conhecimento transmitido pelos professores; uma organização excelente; um lugar com pessoas realmente acolhedoras; um clima maravilhoso; e, acima de tudo, um espírito de diálogo e um desejo de se conhecer e de se entender entre todos os presentes... o resultado final é bem superior à soma das partes.

Cada palestra, o trabalho em grupo, os horários de descanso, foram todos momentos de partilha. Não obstante a distância de casa e a ausência daCuba SS 4 família, não me senti sozinho. Mesmo quanto me vi no avião, senti que Jesus vinha comigo. Por que eu? Por que agora? Por que a Espanha? Por que a EdC? Talvez eu não tenha uma resposta certa. O meu empenho de cada dia, procurando levar para frente a EdC na minha cidade, com as pessoas e as organizações que Deus coloca na minha frente, nos cursos que fazemos para ensinar os instrumentos de gestão às pequenas empresas, acompanhando empresas, cooperativas, empresários, na promoção da pessoa a partir da perspectiva de uma economia mais fraterna, justa, livre e harmoniosa com o ambiente... esta é a minha resposta.

A visita à empresa de EdC Fitosanitarios Francisco Toro

Cuba SS 2Antes que começasse a Summer School, tive a oportunidade de visitar uma empresa de EdC. Encontra-se numa pequena, mas linda cidade chamada Jaén, na região de Andaluzia. O seu protagonista principal é Francisco Toro. Esta empresa presta consultoria, desenvolve e comercializa produtos para a agricultura da região, quase totalmente dedicada às oliveiras.

Seguindo o lema de "fazer as coisas como eu gostaria que fizessem a mim", Francisco (Paco) projetou uma organização focalizada nas necessidades dos clientes, desenvolvendo produtos e serviços que enriquecem o cultivo e o terreno, sem destruir a biodiversidade, sacrificando custos e margens para buscar a máxima qualidade, conservando todos os postos de trabalho mesmo em meio à crise, pagando Cuba SS 7salários mais altos do que a média do setor, e gerando um clima de trabalho baseado na liberdade, na confiança, no profissionalismo e na ética.

Com seu modo de agir, Paco ultrapassou o Oceano Atlântico. Trabalhou no Chile e na Bolívia para promover empresas fundamentadas nos princípios da EdC. Sempre no respeito à cultura, aos conhecimentos e às realidades destas sociedades, promoveu a ética e a responsabilidade no empreendimento comunitário.

Indo para Madri, na Summer School, eu disse ao meu amigo Paco que mesmo se eu tivesse que voltar para Cuba naquele momento, teria já levado comigo muito da EdC, da Espanha e da amizade. Cada vez que planejo uma nova atividade econômica de EdC, a minha referência constante é "Francisco Toro-Fitosanitarios". Gostaria de de conseguir transmitir aos meus colegas o mesmo ambiente de confiança, profissionalismo e ética Paco transmite, o meu amigo de Jaén e da EdC.

Cuba SS 5Sinto que Paco e todos os amigos que conheci na Summer School estão perto de mim, em Cuba. De certa forma, todos vieram comigo. A Summer School não acabou em 15 de setembro de 2013, porque permanecem os amigos que querem testemunhar o amor, a fraternidade e a verdade no trabalho, na família e entre os amigos.

Obrigado a todos pela comunnhão!

Siga-nos:

16-10-2019

O grito da Terra, o grito dos jovens empenhados nas “Fridays for future” e aquele mais subjugado...

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

quem está online?

Temos 523 visitantes e Nenhum membro online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - info@marcoriccardi.it

Please publish modules in offcanvas position.

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.