Reflexões sobre dom e gratuidade marcam Escola Interamericana de EdC

Aspectos que contribuem o nascimento de uma nova cultura: a cultura da confiança

por Regina da Luz Vieira e Rodrigo Apolinário

151027 Ginetta Scuola Interamericana 01A gratuidade e suas implicações para a vida econômica e empresarial” foi o tema-reflexão que abriu o segundo dia da Escola Interamericana de Economia de Comunhão (EdC), realizado nesta terça-feira, 27, na Mariápolis Ginetta, em Vargem Grande Paulista – São Paulo - Brasil.

O assunto apresentado por Anouk Grevin, da comissão internacional de EdC e professora da Universidade de Nantes e do Instituto Sophia, destacou um aspecto importante na relação entre trabalhadores e a hierarquia em uma empresa, a necessidade de reconhecimento pelo algo mais que se faz e que é parte integrante e essencial nas relações de trabalho: o dom, que é algo sempre presente nas empresas; é uma relação de pessoa à pessoa.

Deste modo, o trabalho não é só executar tarefas, mas dar algo de si; portanto, não significa apenas cumprir regras. “Aquilo que os trabalhadores dão de si mesmos. Isso é o dom. É algo dado livremente. Onde existe? Naquilo que se faz com criatividade”, explicou ela. E, em seguida, destacou que a lógica do dom é o dar, receber e doar. É um retroalimentar-se.

O dom gera a gratuidade e se a pessoa experimenta a alegria do dar, ela é capaz de fazer ainda mais. Tendo ressaltado estes pontos, Anouk considerou ainda que no tocante à Economia de Comunhão é importante questionar-se sobre o tipo de gerenciamento que se151027 Ginetta Scuola Interamericana 02 deseja, o estilo de gestão e o tipo de comunicação. Isto porque estes aspectos contribuirão para gerar uma nova cultura: a cultura da confiança e esta é capaz de gerar relacionamentos que por sua vez favorecerá o dom presente nas pessoas. Ou seja, o dom permite construir relações, unir as pessoas.

Portanto, do dom provém a reciprocidade, a gratuidade. Dom e lógica de mercado são opostos, mas estão presentes no mercado e no contrato. Fazem parte da lógica econômica, lembrou Anouk. Ela disse também que “esta é a força da cultura do dar da EdC porque o dom já existe. Mas no caso da EdC inclui você dar e permitir também que o outro dê. Assim, todos têm a mesma dignidade e se abrem à reciprocidade”. Depois da explanação do tema, houve um painel realizado por três empresários que narraram a própria trajetória ilustrando ações nas empresas de EdC que contribuem para identificar os dons presentes em seus funcionários.

151027 Ginetta Scuola Interamericana 03Durante a tarde se realizaram quatro workshops: empreendimento de comunhão, o primeiro passo na EdC; incluir todos (tecnologias assistivas pra pessoas com deficiência); todos são atores de EdC e criar redes de empresas. Os participantes se distribuíram nestas quatro atividades conforme os próprios interesses.

Em seguida, foi apresentado um painel com as sínteses obtidas nos grupos, numa riqueza e diversidade de pontos de vistas que apresentaram sonhos, talentos e ações práticas, visando outros passos para um novo momento dentro da EdC. Também aconteceu uma comunhão dos participantes que deram suas impressões sobre o impacto gerado em si ao integrar determinado workshop. Após o jantar e encerrando as atividades do dia houve uma noite cultural e festiva, num momento de descontração com música, teatro e poesia, numa experiência de comunhão dentro da diversidade cultural dos integrantes da escola.

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.