O sabor da comunhão numa confeitaria da Coreia do Sul

Empresa de restaurante com 363 funcionários, iniciou como uma pequena padaria produzindo pão cozido no vapor.

por Kim Mi Jin

N43 pag 06 07 Sungsimdang 07

Sungsimdang é uma palavra coreana que significa “Sagrado Coração” e dá nome a uma das padarias mais tradicionais da Coreia do Sul. Localizada em Daejeon, cidade com 1,5 milhão de habitantes, a 170 quilômetros da capital, Seoul, a confeitaria é nacionalmente conhecida pelos deliciosos quitutes artesanais inspirados na gastronomia ocidental. A qualidade da Sungsimdang lhe rendeu uma referência no Guia Michelin, o mais importante guia turístico do mundo.

Mas os consumidores não são os únicos que experimentam um sabor diferente ao visitar a confeitaria. Empregados, habitantes de Daejeon e até mendigos sentem ali o gostinho de um negócio
fundamentado na cultura da comunhão, cujas raízes são de longa data.

A Sungsimdang foi fundada em 1956 por um vendedor de frutas que fugira com a família do norte do país durante a Guerra da Coreia (1950-1953), gastando tudo o que tinha. O início da produção só foi possível graças a dois sacos de farinha doados pelo pároco de Daejeon. Na década de 1980, Im Young Jin, filho do fundador, assumiu, ao lado da esposa, a direção da empresa, que dirigiu com grande espírito de inovação e transparência no pagamento dos pesados impostos, a despeito das recomendações de que não o fizesse para não ir à falência.

N43 pag 06 07 Amata e Fedes rid

Em 1999, depois de a
Sungsimdang ter enfrentado sua primeira grande crise, Jin e a esposa, Kim, conheceram o projeto de Economia
de Comunhão em uma Escola Internacional EdC, em Tagaytay, nas Filipinas, e decidiram aderir à
proposta. “A EdC era factível? Ainda não havia na
Coreia nenhuma empresa adepta e tínhamos um débito de 30 bilhõesde won (cerca de 225 mil euros). No entanto, sentíamos que a vocação da Sungsimdang era
ser um modelo, então decidimos dar um passo de cada vez. Doamos aos pobres 1 milhão de won (750 euros), o equivalente ao salário mensal de um funcionário. Estabelecemos como filosofia de gestão a busca do bem de todos”, conta Kim Mi Jin.

N43 pag 06 07 Sungsimdang 05

Apesar do entusiasmo,
durante os primeiros anos dadécada de 2000, o negócio caminhava com dificuldades devido às dívidas e à alta carga tributária, que os proprietáriosse recusaram a sonegar. Em 2005, um incêndio atingiu o prédio da
empresa e fez parecer impossível o sonho de comemorar os 50 anos do empreendimento. “No dia seguinte ao incêndio, porém, uma surpresa: todos os funcionários se apresentaram para reconstruir a confeitaria com o slogan 'se a empresa ficou sob as cinzas, nós a
reconstruiremos’. Em uma semana já produzíamos pães novamente”, relembra Kim.

N43 pag 06 07 Sungsimdang 04

Depois do episódio, os empreendedores decidiram provocar uma mudança de rota nos rumos do negócio. A confeitaria não deveria ser um local de luxo aos olhos dos pobres nem miserável aos olhos dos ricos, mas uma casa acolhedora para todos. A prioridade passou a ser produzir pães grandes e sempre quentes. Além disso, diferentemente da política adotada pelas franquias, todo o pão produzido durante o dia e não vendido passou a ser doado aos pobres. Segundo Kim, embora não tenha sido
mercadologicamente calculada, essa estratégia levou a um incrementode 30% nas vendas.

Com o aumento das vendas, a partir de 2006, a Sungsimdang passou a dividir com os funcionários 15% do lucro e a doar outros 20%. “Procuramos criar uma comunidade dentro da empresa, um relacionamento de comunhão com os funcionários, interessando-nos pelas suas condições de trabalho e colocando em relevo sua criatividade”, explica Kim.

 

Siga-nos:

Alessandra Smerilli

11-03-2019

Na mesa com... por Paolo Bricco - publicado em Sole24ore, 10/03/2019 Tradução de Moisés...

11-03-2019

Na mesa com... por Paolo Bricco - publicado em Sole24ore, 10/03/2019 Tradução de Moisés...

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

quem está online?

Temos 399 visitantes e Um membro online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - info@marcoriccardi.it

Please publish modules in offcanvas position.

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.