Uma economia feita para a África

Congo e Quênia, Burundi e Costa do Marfim, Camarões e Angola: multiplicam-se as iniciativas ligadas à EdC.

de "Economia de Comunhão - uma nova cultura" n.34 - Encarte da revista Città Nuova n.23 - 2011 - dezembro de 2011

por Genevieve A. M. Sanze

110527_Ginetta_Genevieve01_ridSe alguém tinha dúvida que a Economia de Comunhão era adequada aos países de cultura africana, ela foi dissipada pelo resultado do Congresso Pan-africano de Nairobi 2011, no qual participaram empresários, estudantes e pesquisadores de 11 nações da África Sub-Sahariana. Foram precisamente os empresários e os jovens que sentiram a proposta EdC particularmente apropriada a eles: empenharam-se logo em fazer nascer pequenas atividades para amenizar os sofrimentos de suas comunidades e realizar a comunhão na África e no mundo.

No Quênia, uma jovem logo começou uma produção de tortas e, com fidelidade, partilha um terço dos lucros para os pobres e um terço para a formação de homens novos.

No Congo, a associação AecoMabl facilitou o início de uma empresa para a produção de sabão, de outra para o aluguel de carrinhos de mão, de dois comércios, uma de material elétrico, de uma plantação de pêssegos, de um moinho para cereais e de uma loja de produtos de primeira necessidade, num bairro pobre.

No Burundi a Casobu, uma ong, combate a pobreza através do microcrédito: não oferece somente o dinheiro para iniciar atividades produtivas, mas faz com que descubram que a miséria é fruto da “falta de amor”, e ajuda as pessoas a começarem atividades graças às economias, mesmo se modestas, dos outros pobres que começaram a partilhar para se sentirem úteis às suas famílias; sessenta núcleos já fazem parte desse projeto do qual o banco Kabayan, uma empresa EdC de Microcrédito, tornou-se parceiro.

Na Costa do Marfim, as pessoas da vila Glolé fizeram da fraternidade a própria força. É uma comunidade rural de aproximadamente mil habitantes, em geral analfabetos que, porém, considerando que «toda criança pertence à comunidade», mandou algumas mães da vila para serem formadas no Centro Nutricional Focolares de Man, para poder depois formar todas as outras; um grupo de sessenta pessoas se uniram para construir uma "pequena maternidade" para essa vila, utilizada também para as vacinações; criaram um “banco do arroz” para os períodos de escassez e ao qual aderem cem famílias que cultivam o arroz num campo de um héctare que receberam em doação, para terem recursos para promover a formação sanitária para doze vilas, para o transporte das crianças ao hospital, para a escola e para a alimentação. Somente uma parte deles são cristãos e assim se apresentaram ao bispo: «Aqui em Glolé, graças ao espírito de fraternidade: cristãos, pessoas de religiões tradicionais e musulmanos, vivem em harmonia».

Nos Camarões, depois do congresso, com a ajuda da Aecom-mabl do Congo, está sendo trabalhado um projeto para ajudar o povo.

Na Angola, os participantes do congresso, relembrando o «somos pobres, mas muitos», conseguiram comprar uma cadeira de rodas para uma pessoa acometida por um cancer.

Conforme o acordo assinado pela universidade Sophia durante o congresso com a universidade Católica da África Oriental, em julho de 2011 os professores Giuseppe Argiolas e Giampietro Parolin ministraram um curso para quinze estudantes do Burundi, Camarões, Ruanda e Quênia.

Siga-nos:

16-10-2019

O grito da Terra, o grito dos jovens empenhados nas “Fridays for future” e aquele mais subjugado...

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

quem está online?

Temos 710 visitantes e Nenhum membro online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - info@marcoriccardi.it

Please publish modules in offcanvas position.

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.