Comunhão e crise grega

"É preciso passar da lógica do 'eu' para a lógica do 'nós' passando a olhar o bem comum como o bem de todos e não como o 'bem de ninguém'"

por Thiago Borges

publicado em Cidade Nova, 08/2015

1508 CidadeNova MaosDadasO projeto Economia de Comunhão ainda é um grão de areia no deserto, uma experiência embrionária diante do tamanho da complexidade da economia mundial. No entanto ele se baseia em princípios e práticas que não apenas podem transformar a economia, mas que, se não forem empregados rapidamente, podem colocar em risco até mesmo grandes estruturas econômicas como a própria União Europeia. A análise é do economista italiano Luigino Bruni.

Empresas que aderem a um projeto de economia da partilha tendem a valorizar e a preservar não apenas seus recursos e bens, não se limitam a respeitar e não usurpar bens alheios, mas se preocupam também, de maneira particular, com os bens que são de todos. Ou seja, com aqueles recursos que podem ser usufruídos por todos, mas não podem ser apropriados unilateralmente por ninguém. As relações são um exemplo desse tipo especifico de bem. Outro exemplo são as comunidades, algumas das quais estão em risco graças à dificuldade de seus membros de valorizar o caráter comum de seus bens. A comunidade europeia, reunida sob o nome de União Europeia, talvez seja o exemplo mais evidente na atualidade. Como qualquer outro bem, o bem comum também pode ser destruído. Isso ocorre quando aqueles que usufruem de tal bem buscam maximizar seus ganhos individuais, esquecendo-se de que o consumo provoca a deterioração.

É como um pasto compartilhado por um grupo de camponeses, cada um dono de uma vaca. O pasto é suficiente para alimentar os animais e se renovar naturalmente. Se um deles decidir alimentar duas vacas no mesmo terreno, haverá uma pequena sobrecarga, mas ainda insuficiente para destruir o pasto. No entanto, se cada um acrescentar uma cabeça de gado ao local, o capim se destruirá e não será capaz de se renovar. "A mensagem principal da teoria dos bens comuns é a destruição do bem como efeito não intencional: não era a intenção de ninguém, mas todos contribuíram para destruí-lo", explica Bruni.

É justamente isso que acontece no velho continente. A crise da Grécia nos mostra que hoje os diversos países que deram vida a União Europeia ameaçam destruir o bem comum construído nas últimas décadas. Como ressalta a prêmio Nobel de Economia Elinor Ostrom, a tragédia do bem comum pode ser evitada apenas com uma mudança do "eu" para a lógica do "nós", passando a olhar o bem comum como o "bem de todos" e não como o "bem de ninguém", afirma.

O economista enfatiza ainda a necessidade de gratuidade e obrigações caminharem juntas na constituição da comunidade, como reclama a própria raiz etimológica da palavra comunidade (cum-munus- munus significa ao mesmo tempo dádiva e obrigação). "os contratos e as regras são apenas uma face da moeda das comunidades. Se falta a face da dádiva, as comunidades implodem, colapsam", acrescenta Bruni. Sem esse lado, as comunidades deixam de existir e dão origem aos "clubes".

"A verdadeira solução possível e sustentável para a crise grega seria uma solução de partilha parcial da dívida, porque, nas condições econômicas, psicológicas e sociais nas quais a Grécia se encontra, é impensável que possa restituir dívidas daquela dimensão contraindo outras dívidas por meio de novos empréstimos", analisa o economista italiano.

Siga-nos:

Alessandra Smerilli

11-03-2019

Na mesa com... por Paolo Bricco - publicado em Sole24ore, 10/03/2019 Tradução de Moisés...

11-03-2019

Na mesa com... por Paolo Bricco - publicado em Sole24ore, 10/03/2019 Tradução de Moisés...

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

quem está online?

Temos 624 visitantes e Nenhum membro online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - info@marcoriccardi.it

Please publish modules in offcanvas position.

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.