Nairobi, 4° dia: Economia de comunhão entre riqueza e pobreza

O 4º dia do Congresso EdC na Mariápolis Piero (Nairobi, Quênia): o programa continua em grande apesar (ou então graças?) a alguns imprevistos

por Alberto Sturla e Norma Sànchez

150530 Nairobi Congresso EdC 51 ridO dia de hoje começou com um apagão mesmo na altura de entrar na sala, que "obrigou" os jovens a prolongar a sua animação musical inicial. Sem a ajuda da amplificação de som foi mais fácil envolver o público num canto a plenos pulmões, acompanhado apenas pelo ritmo dos tambores. Foi um momento emocionante.

Depois de voltar a luz e a compostura, a sala se preparou para escutar o tema do dia. No congresso hoje se falou de pobreza e riqueza na perspetiva da Economia de Comunhão, graças às intervenções de Lorna Gold e Luca Crivelli.

Luca deu uma verdadeira e própria lectio magistralis sobre os conceitos de pobreza e riqueza com base no conceito de felicidade e sua mensuração. É difícil resumir em poucas linhas um discurso tão cheio de ideias; sugerimos que leiam os slides ou assistam ao vídeo logo que esteja disponível: é verdadeiramente enriquecedor.

Partindo da dificuldade, demonstrada pelas escolas econômicas e sociais modernas, de medir a 150529 Nairobi Congresso EdC 52 ridfelicidade e, sobretudo, de entender do que essa depende, Luca realçou como, apesar de ser claro que os povos mais ricos geralmente são os mais felizes, é evidente que alguns componentes da felicidade não são mensuráveis pois têm a ver com a percepção de si em relação ao contexto, que não se reduz apenas à prosperidade econômica. Existe portanto uma componente de pobreza que nasce da ausência de capital social e relacional, que conduz à exclusão e consequentemente à indigência. A pobreza tem, efetivamente, muitas faces difíceis de distinguir. Muito menos é imaginável intervir sobre um só aspeto esquecendo um outro.

A Economia de Comunhão, colocando no centro a reciprocidade,  favorecendo a compreensão e apoiando um desenvolvimento integral da pessoa, pode oferecer uma solução.
Lorna Gold, de alguma maneira, tirou as conclusões da intervenção do Luca, sublinhando o valor da Economia de Comunhão no combate à pobreza que, sobretudo, é isolamento e exclusão. Através da ajuda material, mas também e sobretudo através da criação de relações de reciprocidade, a EdC visa criar um bem estar partilhado no qual quem se encontra na necessidade possa sair da indigência com seus próprios meios.

O programa continuou com o usual painel de experiências. Cristina do Brasil apresentou a iniciativa de uma parceria público-privada realizada para o desenvolvimento da província de Alagoas, em colaboração com a AMU. Das Filipinas chegou, por outro lado, a história de uma pequena loja de alimentos "La primavera": o empenhamento do proprietário para com os pobres em sua área demonstra como a comunhão não é uma questão de dimensão económica. Por sua vez, o 'centro de dia' para pessoas com deficiência mental "La Miniera" encontra-se em Espanha.

150529 Nairobi Congresso EdC 53 ridDe tarde, a primeira parte foi dedicada à segunda parte dos workshop. Depois, já com todos de novo na sala, se deu início ao segundo round das apresentações das comissões locais: França, Espanha, Bélgica, Luxemburgo, Portugal e Brasil. Devido ao grande atraso nos trabalhos causado pelo apagão da manhã fomos obrigados a adiar algumas experiências para a noite. Se falou então do mini-polo "the box", que se situa na Alemanha. Se trata de um edifício onde trabalham três empresários que se ajudam mutuamente a viver os princípios da Economia de Comunhão.

Pela Itália foi a vez da Associazione Italiana Imprenditori per una Economia di Comunione (AIPEC), que já tem 200 sócios, entre aderentes e ordinários. Livio Bertola, o presidente da AIPEC, não quis correr o risco de perder a atenção dos presentes, cansado depois de um dia tão intenso, e transformou a apresentação em um happening, com um ótimo slogan em Swahili para o "lançamento" da associação na África: "Jambo, abari musuri sana? Aipec!"  (Olá, como estás? AIPEC!). O público gostou mesmo....

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.