Nairóbi: crônica do primeiro dia da EoC School

Entusiasmo, coragem, desejo de mudança. Os jovens africanos acolhem com seriedade a mensagem da EdC.

por Lili Mugombozi

150523 Nairobi EoC School 21 ridSomos uma nova geração que quer pegar o bastão da Economia de Comunhão. Temos consciência da nossa inexperiência e da nossa imaturidade, mas também estamos felizes em experimentar que esta é exatamente a nossa força, não queremos desistir de sonhar”. Assim se exprime um jovem dos Camarões na International EoC School em andamento de 22-26 de maio na Mariápolis Piero, cidadezinha dos Focolares perto de Nairóbi, Quênia. Ontem à tarde, dia da abertura, entrando naquela “sala de aula”, era impossível não tocar com as mãos a energia de um povo jovem: vigorosa, cheia de expectativas, esperanças, aspirações e sonhos quase impensáveis em meio a todos os desafios do continente deles.

São mais de 170 entre estudantes de economia, de desenvolvimento, estudos sociais, empresários e interessados; provem de todas as regiões do Sub-Saara e do mundo inteiro: do Chile à Itália, 150523 Nairobi EoC School 26 riddo Brasil ao México, o Líbano, a Austrália etc.

Do relacionamento de confiança recíproca estabelecido espontaneamente após a introdução entre professores e estudantes, aconteceu logo uma profunda troca de ideias, feita na reciprocidade. Entre as saudações que chegaram de várias partes do mundo, um aplauso acolhe a mensagem do Reitor da Universidade de Cagliari, a professora Maria Del Zompo que, recordando o evento muito doloroso dos massacres dos jovens estudantes de Garissa, quer lembrar aos jovens presentes a importância das estruturas de educação, incentivando-os no desejo deles de viver e difundir os ideais da EdC.

Vittorio Pelligra, um dos professores, apresenta o método, a roadmap do caminho destes dias: a reciprocidade aplicada: "É uma escola especial de diálogo, de trocas, onde compartilhamos as nossas intuições, as nossas dúvidas, os nossos projetos e sonhos, somos todos protagonistas", para estarmos prontos, assim, a doar tudo e a receber tudo de todos!"

150523 Nairobi EoC School 08 ridE, portanto, uma breve história da Economia de Comunhão: nascimento e desenvolvimento, de 1991 até hoje. Nasce logo uma pergunta, a EdC é um caminho para a África? O diálogo entre professores e participantes arrasta o auditório num entusiasmo contagiante.

A grande maioria – e se entende – que coloca muitas perguntas e expõe seus pontos de vista, medos e também esperanças, são os jovens africanos: “como fazer para influenciar os nossos governos?”, “nós jovens estamos cansados de ser usados pelos políticos como alvo em suas manifestações. Não só, mas o mundo espera novos métodos de relacionamentos… a EdC é uma das soluções, nós sentimos isso.

É um dever ter também um olhar para os desafios e para os recursos dos jovens do continente: a crise de identidade na sociedade globalizada, a pobreza, os conflitos e a família alargada, a fuga das “cabeças” do continente e a falta de trabalho, a educação sempre mais internacionalizada sem pensar na formação às necessidades atuais da sociedade que está ao nosso redor.

Estamos somente no primeiro dia desta escola, mas os jovens presentes, na descoberta de novas categorias econômicas, descobrem já um futuro melhor e não vêem a hora de voltar aos seus países para difundir a mais pessoas possíveis.

 

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.